APIMR colabora com SOS Oncológico para esclarecimento de Notícia

A APIMR, em cumprimento da sua missão de contribuir para uma maior visibilidade dos profissionais e para uma maior literacia em saúde, aceitou o repto da SOS oncológico e fez um esclarecimento da notícia abaixo de modo a facilitar a sua compreensão ao público em geral, nomeadamente utentes.

https://www.cmjornal.pt/sociedade/detalhe/novo-equipamento-do-centro-hospitalar-e-universitario-de-coimbra-reduz-sessoes-de-radioterapia?fbclid=IwAR36EzsL9P8HfLSsrlGofi4j6r8LpY2CUvjPBRpJCUwbMolVvMK2yWwrrDI

Então, este equipamento inovador, referenciado na notícia, permite realizar técnicas de radioterapia que permitem um ajuste mais otimizado das doses de radiação prescritas pelo radioncologista, nomeadamente, as técnicas designadas “intensidade modulada e arcoterapia com intensidade modelada”. Com este ajuste das doses, os tecidos e órgãos circundantes às lesões oncológicas, ficam mais protegidos e por consequência os efeitos secundários do tratamento (principalmente os tardios, após 6 meses do término do tratamento) são também muito menores. Resumo – Mais precisão no tratamento da lesões, com menor dano das áreas circundantes e menos efeitos secundários pós tratamento.

Estas técnicas que referi acima, que estes equipamentos dispõem, permitem também reduzir por sua vez o número de sessões, aplicando novos protocolos clínicos para estas técnicas, onde basicamente a dose por tratamento pode ser ligeiramente maior, realizando menos sessões de tratamento, havendo efeitos secundários, da mesma forma mínimos. – Resumo: Mesma dose biológica aplicada no tratamento e menor número de sessões – Tratamento mais reduzido, mas igualmente eficaz.

O equipamento possui também “técnicas de imagem guiada” que permitem realizar imagens tridimensionais prévias ao tratamento que aferem com alta precisão o posicionamento do paciente relativamente ao que foi definido no planeamento do tratamento, permitindo visualizar todos os tecidos e verificar que o planeado pelo médico radioncologista numa fase prévia ao tratamento, naquele dia ou naquela sessão, está exatamente na mesma posição que o planeado. Ou seja, o uso de técnicas de imagem previas ao tratamento permite garantir que o tratamento é realizado na localização planeada (definida pelo médico) ou correta
– Resumo: Reduz a margem de erro na execução técnica do tratamento

As técnicas de sincronização com base no ciclo respiratório, permitem diminuir as margens de tratamento (ou volume corporal), já que no planeamento do tratamento, irá incluir-se este movimento respiratório, possibilitando também assim menores efeitos secundários.
Resumo – Menos efeitos secundários

Estes equipamentos possuem também a capacidade de administrar tratamentos de radiocirurgia, em que a dose administrada é mais alta que habitualmente e que é utilizada em protocolos clínicos muito específicos. Este equipamento administra com muito mais rapidez e sem necessidade de acessórios extra (numa modalidade específica de tratamento) este tratamento de radiocirurgia do que nos equipamentos antigos de radioterapia, diminuindo para menos de metade do tempo o tratamento de uma radiocirugia. Resumo – Técnica mais moderna e menos tempo de tratamento e acessórios necessários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.